top of page

Piramutaba

Piramutaba

Brachyplatystoma vaillantii

(Valenciennes, 1840)

Família: Pimelodidae

Nomes Populares: Bagre laulao, Barba chata.

Tamanho: Porte grande, pode atingir até 1,50 m e pesar 20 kg.

Biologia
   A piramutaba é um grande bagre migrador, uma das espécies mais capturadas pelas frotas de pesca industrial e artesanal na Amazônia. Na fase juvenil consome crustáceos (principalmente camarões) e insetos, enquanto na fase adulta se alimenta de outros peixes. A migração desta espécie é anual e ocorre entre suas áreas de alimentação no estuário do rio Amazonas e suas áreas de reprodução, próximas à região da fronteira Brasil-Peru-Colômbia.

   As fêmeas atingem a maturidade sexual com 42 centímetros de comprimento e após a desova, larvas e juvenis derivam até atingir o estuário do Amazonas, que é o principal ambiente de crescimento desse peixe.

Morfologia

   Apresenta padrão de coloração em adultos e juvenis forte, mas gradualmente contra-sombreado ao longo dos flancos, dorso escuro a cinza claro ou marrom, sem manchas ou listras; nadadeira caudal em adultos profundamente bifurcada, os barbilhões maxilares alcançando a base da nadadeira adiposa; origem da nadadeira adiposa anterior à origem da nadadeira anal.

 

Habitat
   Espécie bentônica, habita o canal do rio Amazonas e seus principais afluentes. 

Distribuição geográfica 

  América do Sul: Nordeste do Brasil e bacias dos rios Amazonas, Orinoco e principais rios das Guianas (Bolívia, Colômbia, Equador, Guiana Francesa, Peru, Suriname, Trinidad e Tobago e Venezuela).

Potencial para cultivo

  É um peixe com grande potencial para a piscicultura de corte, apresenta carne bastante apreciada, ausência de ossos intramusculares, alto rendimento de filé. Em adição a isto, algumas iniciativas de reprodução em cativeiro já foram realizadas com sucesso.

bottom of page